Universidade Federal de Alagoas - UFAL

 

Estados de atuação: Alagoas-AL, Maranhão-MA e Bahia-BA (430.000 ha)

Unidades conveniadas: 17 usinas e associações

Sede: Maceió/AL

Universidade Federal de Goiás - UFG

Estados de atuação: Goiás - GO (900.000 ha)

Unidades conveniadas: 23 usinas e associações

Sede: Goiânia/GO

Universidade Federal do Mato Grosso - UFMT

Estado de atuação: Mato Grosso - MT (230.000 ha)

Unidades conveniadas: 170 usinas e associações

Sede: Cuiabá/MT

Universidade Federal do Paraná - UFPR

Estados de atuação: Paraná - PR, Santa Catarina - SC e Rio Grande do Sul - RS (520.000 ha)

Unidades conveniadas: 25 usinas e associações

Sede: Curitiba/PR

Universidade Federal do Piauí - UFPI

Estado de atuação: Piauí - PI (15.344 ha)

Unidades conveniadas: 01 usina

Sede: Teresina/PI

Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE

 

Estado de atuação: Pernambuco - PE, Paraíba - PB e Rio Grande do Norte - RN (255.000 ha)

Unidades conveniadas: 22 usinas e associações

Sede: Carpina/PE

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ

Estados de atuação: Rio de Janeiro - RJ e Espírito Santo - ES (117.000 ha)

Unidades conveniadas: 11 usinas e associações

Sede: Campos/RJ

Universidade Federal de São Carlos - UFSCar

Estados de atuação: São Paulo-SP e Mato Grosso do Sul-MS (5.000,00 ha)

Unidades conveniadas: 170 usinas e associações

Sede: Araras/SP

Universidade Federal de Sergipe - UFS

Estado de atuação: Sergipe - SE

Unidades conveniadas: --

Sede: Nossa Senhora da Glória / SE

Universidade Federal de Viçosa - UFV

 

Estado de atuação: Minas Gerais - MG (870.000 ha)

Unidades conveniadas: 37 usinas e associações

Sede: Viçosa/MG

Please reload

A RIDESA
A Rede Interuniversitária para o Desenvolvimento do Sucroenergético, foi formada por um convênio de cooperação técnica entre dez Universidades Federais. Assim, as atividades de pesquisa da RIDESA são desenvolvidas e partilhadas entre todas as universidades, estimulando-se o intercâmbio de informações, de conhecimento e de resultados. Isso aumenta muito a capacidade e a abrangência nacional dos resultados da pesquisa e da inovação. Portanto, a Rede atua em nível nacional e, hoje, é o principal núcleo de pesquisa canavieira no âmbito do Governo Federal.
A definição da nomenclatura das variedades de cana-de-açúcar da rede RIDESA é utilizada a sigla RB “República do Brasil” que é registrada no Germplasm Committee of International Society of Sugar Cane Technologists – ISSCT. A numeração é seguida do ano de cruzamento e posteriormente do código referente à respectiva Universidade, que representa o local de seleção da variedade, conforme detalhado no Quadro 1, a seguir.
Quadro 1. Codificação por letras e números para os clones RB de Cana-de-Açúcar da RIDESA, 2015.
Para que estas novas variedades sejam criadas, a RIDESA conta com 79 bases de pesquisa, englobando Laboratórios das Universidades, Estações de Cruzamento, Estações Experimentais e Bases de Seleção, sendo essas últimas conduzidas em parceria com as empresas do setor canavieiro.

A RIDESA produziu 75 cultivares desde 1990, que somados com a cultivares liberadas pelo PLANALSUCAR, somam 94 variedades RB, produzidas em 45 anos de pesquisa em Cana-de-Açúcar. Atualmente, a rede responde por 68% da área total de cultivo com essa planta no Brasil.